terça-feira, 23 de novembro de 2010

Lying From You - Linkin Park

Quando eu finjo tudo é como eu quero que seja

Eu pareço exatamente o que você sempre quis ver
Quando eu finjo, posso esquecer sobre o quanto criminoso eu sou
Roubando segundo após segundo só porque eu sei que posso mas
Eu não posso fingir que é assim que vou ficar
[Tentando distorcer a verdade]
Eu não posso fingir que sou quem você quer que eu seja então eu estou..

Escondendo meu jeito de você
[Não, não me dê as costas agora]
Eu quero ser deixado de lado então me deixe ir
[Não, não me dê as costas agora]
Traga de volta minha vida eu prefiro ficar sozinho
[Não me dê as costas agora]
Em qualquer lugar por conta própria porque eu posso ver
[Não, não me dê as costas agora]
A Pior Parte De Você Sou Eu

Eu me lembro do que ensinaram pra mim
Me lembro da conversa sobre quem eu deveria ser
Me lembro de ouvir tudo sobre isso, aquilo de novo
Então eu fingi ser a pessoa que se encaixa
E agora você acha que essa pessoa realmente é eu
[Tentando distorcer a verdade]
Mas quanto mais eu me afasto mais eu fico preso Por que eu estou...

Escondendo meu jeito de você
[Não, não me dê as costas agora]
Eu quero ser deixado de lado então me deixe ir
[Não, não me dê as costas agora]
Traga de volta minha vida eu prefiro ficar sozinho
[Não me dê as costas agora]
Em qualquer lugar por conta própria porque eu posso ver
[Não, não me dê as costas agora]
A pior parte de você
A Pior Parte De Você Sou Eu

Isso não é o que eu queria ser
Eu nunca pensei que o que eu dissesse faria você correr pra mim
Desse modo,
Isso não é o que eu queria ser
Eu nunca pensei que o que eu dissesse faria você correr pra mim
Desse modo,
Isso não é o que eu queria ser
Eu nunca pensei que o que eu dissesse faria você correr pra mim
Desse modo,
Isso não é o que eu queria ser
Eu nunca pensei que o que eu dissesse faria você fugir de mim
Desse modo...

Você
[Não, não me dê as costas agora]
Eu quero ser deixado de lado então me deixe ir
[Não, não me dê as costas agora]
Traga de volta minha vida eu prefiro ficar sozinho
[Não me dê as costas agora]
Em qualquer lugar por conta própria porque eu posso ver
[Não, não me dê as costas agora]
A pior parte de você
A Pior Parte De Você Sou Eu

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Enjoy The Silence - Depeche Mode

Palavras como violência
Quebram o silêncio
Vem destruindo 

O meu mundinho
Doloroso para mim
Perfura através de mim
Você não consegue entender
Oh, minha garotinha

Tudo o que eu sempre quis
Tudo o que eu sempre precisei
Está aqui em meus braços
Palavras são bem
Desnecessárias
Elas podem só machucar

Promessas são feitas
Para serem quebradas
Emoções são intensas
Palavras são insignificantes
Os prazeres ficam
E a dor também
Palavras são sem sentido
E são esquecíveis

Tudo o que eu sempre quis
Tudo o que eu sempre precisei
Está aqui em meus braços
Palavras são bem
Desnecessárias
Elas podem só machucar



Tudo o que eu sempre quis
Tudo o que eu sempre precisei
Está aqui em meus braços
Palavras são bem
Desnecessárias
Elas podem só machucar

 


Tudo o que eu sempre quis
Tudo o que eu sempre precisei
Está aqui em meus braços
Palavras são bem
Desnecessárias

Elas podem só machucar
Aprecie o silêncio...

 

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sepultura - Attitude

Uma semana lutando
No mundo real
É isso que você pode ver

Sinta sua alma e
Prepare sua mente para um campo de guerra
Isso é real
Viva sua vida!
Não do jeito que eles te ensinaram
Faça do jeito que você sente!
Sobreviva na selva
Me dê sangue
Me dê dor
Estas cicatrizes não saram


O que você está achando?
Que mundo maravilhoso?
Você está cheio de merda!
Esqueça isso,
Eles não se importam se você chora
A dor é tudo o que restou

Você pode admitir isto?
Você pode admitir isto?
Você pode admitir isto?
Você pode admitir isto?

A única maneira de fugir
Mate seu orgulho
Atitude


Eu não admito!
Eu não admito!
Eu não admito!
Eu não admito!



Então no fim
Eu quero ver um pouco de respeito
(Eu disse)
É melhor você mostrar um pouco de respeito
(Eu disse )
Atitude e respeito

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Bad Reputation - Joan Jett & The Blackhearts

Eu não dou a mínima pra minha reputação

Você está vivendo no passado, essa é a nova geração
Uma garota pode fazer o que ela quiser e isso
é o que eu vou fazer
E eu não dou a mínima para minha má reputação

Oh não!! Não eu!!!


E eu não dou a mínima para minha reputação
Nunca disse que eu queria melhorar minha estação
E eu só estou fazendo bem,
Quando estou me divertindo
E eu não tenho que agradar ninguém
E eu não dou a mínima
Para minha reputação

Oh não!!! Não eu!!!

Eu não dou a minima
Para minha reputação
Eu nunca tive medo de nenhuma divergência
E eu realmente não ligo,
Se você pensa que eu sou estranha
Eu não vou mudar
e eu nunca vou me importar
Com minha má reputação

Oh não!! Não eu!!!

Vamos garotos...
E eu não dou a mínima
Para minha má reputação
O mundo está com problemas
Não existe comunicação
E qualquer um pode dizer...
O que quiser dizer
Isso não vai melhorar nunca mesmo
Então por que eu devo me importar
Com a minha má reputação?
Oh não,Não eu!!!

Eu não dou a mínima para minha má reputação
Você está vivendo no passado
Essa é a nova geração
E eu só me sinto bem
Quando eu não sinto dor
e isso é como eu ficarei
E não dou a mínima
Para minha má reputação

Oh não,Não eu!!!
Oh não,Não eu, não eu,Não eu!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Alone I Break - Korn

Me acolha
Estou sangrando há muito tempo
Bem aqui, agora mesmo
Vou parar isso de alguma maneira
Eu farei isso ir embora
Não pode mais continuar assim
Parece que esse é o único jeito
Ou logo estarei acabado
Estes sentimentos irão embora
Estes sentimentos irão embora!

Agora eu percebo como os tempos mudam
Partir não me parece tão estranho
Espero um dia poder encontrar
Onde deixar minha dor para trás
Toda essa merda que pareço suportar
Sozinho eu pareço quebrar
Eu tenho vivido o melhor que posso
Isso não me faz um..

Acabe comigo
Estou pronto, coração parado
Eu estou sozinho
Não posso ficar sozinho

Eu farei isso ir embora
Não pode mais continuar assim
Parece que esse é o único jeito
Ou logo estarei acabado
Estes sentimentos irão embora
Estes sentimentos irão embora!

Agora eu percebo como os tempos mudam
Partir não me parece tão estranho
Espero um dia poder encontrar
Onde deixar minha dor para trás
Toda essa merda que pareço suportar
Sozinho eu pareço quebrar
Eu tenho vivido o melhor que posso
Isso não me faz um homem?

Será que vou deixar esse lugar?
Do que é que estou correndo?
Não há nada mais por vir?
É sempre escuro no espaço?
Será que eu vou pra lá?
Será que eu vou morrer?
Eu acho que Deus está lá nesse lugar
No que foi que me tornei?
Há algo mais por vir?
(Mais por vir)

Agora eu percebo como os tempos mudam
Partir não me parece tão estranho
Espero um dia poder encontrar
Onde deixar minha dor para trás
Toda essa merda que pareço suportar
Sozinho eu pareço quebrar
Eu tenho vivido o melhor que posso
Isso não me faz um homem?

Agora eu percebo como os tempos mudam
Partir não me parece tão estranho
Espero um dia poder encontrar
Onde deixar minha dor para trás
Toda essa merda que pareço suportar
Sozinho eu pareço quebrar
Eu tenho vivido o melhor que posso
Isso não me faz um homem?

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Herzeleid - Rammstein

Protejam-se uns aos outros
da dor do coração
pois breve é o tempo
que vocês passam juntos


Pois mesmo quando vocês
estejam ligados durante anos
eles parecerão como
minutos para vocês


Dor do coração...
Protejam-se uns aos outros...
da solidão...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse - Apocalipse (c.6)

E, havendo o Cordeiro aberto um dos selos, olhei, e ouvi um dos quatro animais, que dizia como em voz de trovão: Vem, e vê.
E olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa, e saiu vitorioso, e para vencer.


E, havendo aberto o segundo selo, ouvi o segundo animal, dizendo: Vem, e vê.
E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada.


E, havendo aberto o terceiro selo, ouvi dizer ao terceiro animal: Vem, e vê. E olhei, e eis um cavalo preto e o que sobre ele estava assentado tinha uma balança na mão.
E ouvi uma voz no meio dos quatro animais, que dizia: Uma medida de trigo por um dinheiro, e três medidas de cevada por um dinheiro; e não danifiques o azeite e o vinho.
E, havendo aberto o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que dizia: Vem, e vê.
E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Eat Me, Drink Me - Marilyn Manson (Trecho)

Na terra do desperdício a caminho da Rainha Vermelha
Não há surpresa as nossas roupas teatrais terem sonhos de serem famosas
As árvores no pátio são pintadas em sangue, É o que eu soube
Ela pendura os decaptados de cabeça para baixo pra drenar


Coma de mim, Beba de mim
Isso é apenas um jogo
isso é apenas um jogo
Eu fui convidado a uma decaptação hoje
Eu pensei que eu fosse uma borboleta próxima a sua chama
Uma correria de pânico e a fechadura foi arrebentada
Isso é apenas um jogo, isso é apenas um jogo

Mas logo nossa estrela é lançada
Sentindo-se como uma criança e parecendo uma mulher
Ela tem previsto uma tentativa de se matar
Mas o no final não deu certo

Coma de mim, Beba de mim
Isso é apenas um jogo
[...]


Então agora colha minha pele e minhas medidas
Eu vejo meu horror refletido no pôr-do-sol de seu fitar desbotado..

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Joan Jett Says:




I have a tough time judging myself.
I don't really get it. Other people will call me a rebel, but I just feel like I'm living my life and doing what I want to do. Sometimes people call that rebellion, especially when you're a women. A guy knowing what he wants is a leader. A woman knows what she wants, and she's a bitch.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Nymphetamine - Cradle Of Filth

Guiado ao rio
No meio do verão, eu acenei
Um V de cisnes pretos
Indo com esperança para o tumulto
Embora fosse setembro vermelho
Com os céus revestidos de fogo
Eu implorei para que você aparecesse
Como um espinho sagrado

Fria era minha alma
Não revelada era minha dor
Que enfrentei quando você me deixou
Uma rosa na chuva...
Assim eu jurei à navalha
Isso nunca, dominado!
Seus pregos escuros de fé
Foram empurrados através de minhas veias outra vez

Descoberto em seu túmulo
Eu estou rezando pela sua solidão
E você logo
Viria acima de mim?
Por mais um momento
Nos ligamentos de sua solidão
Eu sempre pude encontrar
A entrada para sua chave sagrada

Seis pés de profundidade tem o corte
Em meu coração, a prisão proibida
Foi toda descolorida com a visão ao túnel
Pôr-do-Sol
Ninfetamina
Doente e fraco de minha condição
Esta luxúria, esta vício vampírico
Por ela sozinha em total submissão
Não há nada melhor...
Ninfetamina

Ninfetamina, Ninfetamina
Garota Ninfetamina
Ninfetamina, Ninfetamina
Minha Garota Ninfetamina

Destruído com seu encanto
Eu estou circundado como uma rapina
Por detrás da floresta
Onde sussurros me persuadem
Mais trilhas de açúcar
Guiaram uma dama branca
Do que colunas de sal...
(mantendo Sodom na caça)

Caia em meus braços
Mantenha sua mensagem ausente
E dance para a lua
Como nós fizemos naqueles dias dourados

O batismo das estrelas...
Eu me recordo da maneira
Como éramos agulha e colher
Desencaminhados no feno queimado

Descoberto em seu túmulo
Eu estou rezando pela sua solidão
E você logo
Viria acima de mim?
Por mais um momento
Nos ligamentos de sua santidade
Eu sempre pude encontrar
A entrada para sua chave sagrada

Seis pés de profundidade tem o corte
Em meu coração, a prisão proibida
Foi toda descolorida com a visão ao túnel
Pôr-do-Sol
Ninfetamina
Doente e fraco de minha condição
Esta luxúria, esta vício vampírico
Por ela sozinha em total submissão
Não há nada melhor...
Ninfetamina

Pôr-do-Sol
Ninfetamina!
Não há nada melhor...
Ninfetamina!

Ninfetamina, Ninfetamina
Garota Ninfetamina
Ninfetamina, Ninfetamina
Minha Garota Ninfetamina

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Reissende Blicke - Lacrimosa

Estou sentado no cimena de minha vida
Todos os lugares estão ocupados
Meu lugar é só uma cadeira dobrável
Muitas pessoas se encontram aqui hoje
A luz se apaga - o filme começa
Lembranças vêm à tona novamente
O passado distante torna-se presente outra vez
Um desconhecido me olha no rosto
Eu olho a multidão
Todo o público ri
Uma multidão à deriva na maré
Me sinto mal
Estou envergonhado

Um hoje, cheio de ontens
Me lembro então daquele tempo
A pergunta de vida e de morte
Agora eu sei a resposta
Naquele tempo não -
Tomei a decisão errada
E novamente o público ri
Me levanto e saio
Tenho que vomitar
O ódio cai sobre mim
Poderão me reconhecer na luz?
Tornarão a rir de mim?
Porque não vão todos para casa?
Afinal essa é apenas minha vida privada

Volto, e meu lugar está ocupado
Me sento silenciosamente no chão
Quero ver o que acontece comigo finalmente
Eu não conheço meu pecado ainda
Só espero morrer rapidamente
Para assim não ter que suportar isso tudo muito mais
Está errado, se minha vida pertubou alguém
Mas todos desfrutam de um filme
Esse filme mostra minha morte
Finalmente também posso rir
Mas milhares de olhos viram-se
E me olham de frente, consternados

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Einsamkeit - Lacrimosa

Escrevo minha própria história
E vivo à sua margem sozinho
Sou o único que nota a minha presença
E todas as vozes que ouço
São apenas ecos de meus desejos
Impotente enfrento minha solidão
E impotente lhe dou a face

Desintegrado em milhões de pedaços
Me arrasto em milhões de direções
E não segurei firme o suficiente a sua mão
Escapei em falsos sonhos
Sentei-me em lugares ocupados
Busquei a glória de estar contigo
E encontrei a ridícula solidão

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Esparsa - José Albano



Há no meu peito uma porta a bater continuamente,
Dentro a esperança jaz morta
E o coração jaz doente.
Em toda parte onde eu ando
Ouço este ruído infindo:
São as tristezas entrando...E as alegrias saindo.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Uma taça feita de um crânio humano - Lord Byron

Não recues! De mim não foi-se o espírito...
Em mim verás - pobre caveira fria -
Único crânio que, ao invés dos vivos,
Só derrama alegria.

Vivi! amei! bebi qual tu: Na morte
Arrancaram da terra os ossos meus.
Não me insultes! empina-me!... que a larva
Tem beijos mais sombrios do que os teus.

Mais vale guardar o sumo da parreira
Do que ao verme do chão ser pasto vil;
- Taça - levar dos Deuses a bebida,
Que o pasto do réptil.

Que este vaso, onde o espírito brilhava,
Vá nos outros o espírito acender.
Ai! Quando um crânio já não tem mais cérebro
...Podeis de vinho o encher!

Bebe, enquanto inda é tempo! Uma outra raça,
Quando tu e os teus fordes nos fossos,
Pode do abraço te livrar da terra,
E ébria folgando profanar teus ossos.

E por que não? Se no correr da vida
Tanto mal, tanta dor ai repousa?
É bom fugindo à podridão do lado
Servir na morte enfim p'ra alguma coisa!...

Junqueira Freire - Morte (Hora de Delírio)

Pensamento gentil de paz eterna
Amiga morte, vem. Tu és o termo
De dous fantasmas que a existência formam,
— Dessa alma vã e desse corpo enfermo.

Pensamento gentil de paz eterna,
Amiga morte, vem. Tu és o nada,
Tu és a ausência das moções da vida,
do prazer que nos custa a dor passada.

Pensamento gentil de paz eterna
Amiga morte, vem. Tu és apenas
A visão mais real das que nos cercam,
Que nos extingues as visões terrenas.

Nunca temi tua destra,
Não vou o vulgo profano;
Nunca pensei que teu braço
Brande um punhal sobr'humano.

Nunca julguei-te em meus sonhos
Um esqueleto mirrado;
Nunca dei-te, pra voares,
Terrível ginete alado.

Nunca te dei uma foice
Dura, fina e recurvada;
Nunca chamei-te inimiga,
Ímpia, cruel, ou culpada.


Amei-te sempre: — pertencer-te quero
Para sempre também, amiga morte.
Quero o chão, quero a terra, - esse elemento
Que não se sente dos vaivens da sorte.

Para tua hecatombe de um segundo
Não falta alguém? — Preencha-a comigo:
Leva-me à região da paz horrenda,
Leva-me ao nada, leva-me contigo.

Miríades de vermes lá me esperam
Para nascer de meu fermento ainda,
Para nutrir-se de meu suco impuro,
Talvez me espera uma plantinha linda.

Vermes que sobre podridões refervem,
Plantinha que a raiz meus ossos fera,
Em vós minha alma e sentimento e corpo
Irão em partes agregar-se à terra.

E depois nada mais. Já não há tempo,
nem vida, nem sentir, nem dor, nem gosto.
Agora o nada — esse real tão belo
Só nas terrenas vísceras deposto.

Facho que a morte ao lumiar apaga,
Foi essa alma fatal que nos aterra.
Consciência, razão, que nos afligem,
Deram em nada ao baquear em terra.

Única idéia mais real dos homens,
Morte feliz — eu quero-te comigo,
Leva-me à região da paz horrenda,
Leva-me ao nada, leva-me contigo.

Também desta vida à campa
Não transporto uma saudade.
Cerro meus olhos contente
Sem um ai de ansiedade.

E como um autômato infante
Que ainda não sabe mentir,
Ao pé da morte querida
Hei de insensato sorrir.

Por minha face sinistra
Meu pranto não correrá.
Em meus olhos moribundos
Terrores ninguém lerá.

Não achei na terra amores
Que merecessem os meus.
Não tenho um ente no mundo
A quem diga o meu - adeus.
Não posso da vida à campa
Transportar uma saudade.
Cerro meus olhos contente
Sem um ai de ansiedade.


Por isso, ó morte, eu amo-te e não temo:
Por isso, ó morte, eu quero-te comigo.
Leva-me à região da paz horrenda,
Leva-me ao nada, leva-me contigo.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Spring - Rammstein

Numa ponte, muito alta

Um homem mantém seus braços abertos
Alí ele permanece e ainda hesita
Logo as pessoas se aglomeram em multidões
Eu também não vou perder isso
Eu quero ver isso de perto

 Eu chego na primeira fila
E gritam...
O homem quer subir da ponte
As pessoas começam a odiar
Elas formam um público denso
E não querem deixá-lo descer
Então ele sobe de volta
E a multidão começa a enfurecer-se
Eles querem suas vísceras
E gritam:

PULE!!!! PULE!!! PULE!!!!
Pule... Me redima
Pule... Não me desaponte
Pule para mim
Pule para a luz
PULE!!!

Agora o homem começa a chorar
[Uma nuvem se move em segredo]
Perguntando a si mesmo "o que eu fiz"
[Na frente do sol, fica frio]
"Eu apenas queria apreciar a vista"
[As pessoas se desorganizam]
E olhar para o céu da noite,
e eles gritam:
PULE!!!! PULE!!! PULE!!!!
Eles gritam
Pule... Me redima
Pule... Não me desaponte
Pule para mim
Pule para a luz
PULE!!!

Uma nuvem se move em segredo
Na frente do sol, fica frio
Mas mil sóis queimam apenas para você

Eu rastejo para a ponte em segredo
E chuto ele nas costas, por trás
Eu o redimo dessa vergonha
E grito para ele:


PULE!!!! PULE!!! PULE!!!!
Pule... Se redima
Pule... Não me desaponte
Pule, pule para mim
Pule... Não me desaponte...